quinta-feira, 20 de março de 2014

AMIGO DA GRAÇA E DO CONHECIMENTO

Pastor Cássio Castelo


"Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados e descaiais da vossa firmeza; antes, crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora como no dia da eternidade. Amém!" - 2 Pedro 3.17 e 18.

Queridos leitores, desta vez gostaria de fazer uma rápida reflexão sobre um amigo de muito de valor. Um amigo que sempre recorremos a ele, principalmente nos momentos mais difíceis - na escola, palestra, pregação, púlpito – e em situações de tensão. Esse amigo chama-se conhecimento.

Hoje, graças a Deus, no meio evangélico, podemos considerar o conhecimento um amigo. Somente sinto que essa amizade demorou para se consolidar. E se demorou, não foi por culpa do conhecimento, mas por resistência nossa, por desprezo nosso. Por achar que ele era mal, perigoso e prejudicial. Demorou para entendermos que ele – o conhecimento - o "inimigo da espiritualidade" poderia nos ajudar a sermos espirituais. Demorou para entendermos que é a falta de conhecimento que nos induz a errar e a reproduzir o erro. Demorou para entendermos que a letra que o apóstolo São Paulo fala que mata, não é o estudo, mas a lei mosaica. Por falta do conhecimento, demorou para entendermos que a expressão "o cair é do homem e o levantar é de Deus", que muitas pessoas dizem que a Bíblia diz, a Bíblia não diz. E que a tristeza que diante dele salta de prazer, que muitos dizem ser Jesus é o leviatã. Por isto, queridos leitores, admiro esse amigo, pois é ele quem nos ajuda a errar menos.

O conhecimento só se adquire através do estudo, da pesquisa. É bem verdade, que pesquisamos para conhecer o que ainda não conhecemos e nunca chegaremos a conhecer tudo, principalmente quando se trata das coisas de Deus, visto serem elas profundas como um oceano e quanto mais mergulhamos, percebemos quão profundas são. 

Mas não podemos desanimar diante desta profundidade. Devemos sim, mergulhar, nos proteger e nos libertarmos de todo engano. É ele - conhecimento – que nos proporciona uma libertação e nos faz enxergar as coisas com clareza. Quem mergulha neste oceano não consegue conceber a idéia de que Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil. Aliás, quem pode afirmar que o Brasil foi descoberto? 

Ora, na vida secular, o conhecimento nos proporciona esta libertação de correntes que nos colocaram durante muito tempo. Na vida espiritual não é diferente, precisamos conhecer, para nos livrarmos de todas as amarras de satanás. Amarras essas que tem penetrado nas igrejas através de coisas falsas, como falsos mestres, falsos ensinos , falsa teologia. Uma verdadeira caixa de pandora, que se aproxima de nós com uma beleza aparente, mas na essência traz toda sorte de mal.

Queridos leitores, devemos estar vacinados contra todas essas falsidades da nova era e nos proteger destes falsos ensinadores que estão em todos os lugares, na mídia, nos rádios, nas ruas, nas praças e muitos até mesmo nos templos. Devemos usar o conhecimento da verdadeira palavra que serve como arma para atacar e ao mesmo tempo para nos defender contra as astúcias do maligno. Nunca se esqueça, que é o conhecimento dela – a Palavra - que nos proporciona proteção contra todo engano e contra tudo aquilo que é falso. 

Pois bem, isto posto, concluímos que não podemos deixar este amigo – o conhecimento – de lado. Antes, devemos andar sempre com ele. Vai um conselho, não deixe esse amigo, ande com a graça, mas não esqueça de levar sempre com a graça o tal amigo chamado CONHECIMENTO.

Deus abençoe.

terça-feira, 11 de março de 2014

Alguém está te observando!

Alguns anos atrás, um pregador mudou-se para Houston, Texas / EUA. Poucos dias depois que chegou, teve que ir de ônibus de sua casa até o centro da cidade. Quando se sentou, descobriu ter recebido 25 centavos a mais no troco pelo que pagara pela passagem. Considerando o que deveria fazer, pensou:

- É melhor devolver os 25 centavos. Seria errado mantê-lo.

Então ele pensou:

- Oh!, esquece. Apenas 25 centavos. Quem se preocuparia por quantia tão pequena? Além do mais, a empresa de ônibus já tem bastante; nunca sentirão falta.  Aceite-o como um presente e fique quieto.

Quando chegou ao ponto onde desceria do ônibus, parou momentaneamente na porta, então entregou a moeda ao motorista e disse:

- Tome, você me deu troco a mais.

O motorista, com um sorriso, respondeu:

- Você não é o novo pregador? Eu tenho pensado sobre ir lhe ouvir. Eu queria apenas ver o que você faria se eu lhe desse troco a mais.

Quando nosso amigo saiu do ônibus, agarrou-se literalmente ao poste mais próximo, e disse:

- Oh! meu Deus, me perdoe! Eu quase vendi seu filho por vinte e cinco centavos!

Pensemos nisto! ! !

O peso de uma oração

Uma pobre senhora, com visível ar de derrota estampado no rosto entrou num armazém, se aproximou do proprietário, conhecido pelo seu jeito grosseiro, e lhe pediu fiado alguns mantimentos. Ela explicou que o seu marido estava muito doente e não podia trabalhar e que tinha sete filhos para alimentar.

O dono do armazém zombou dela e pediu que se retirasse do seu estabelecimento. Pensando na necessidade da sua família ela implorou:

- Por favor, senhor, eu lhe darei o dinheiro assim que eu tiver....

Ele lhe respondeu que ela não tinha crédito e nem conta na sua loja.

Em pé no balcão ao lado, um freguês que assistia a conversa entre os dois se aproximou do dono do armazém e lhe disse que ele deveria dar o que aquela mulher necessitava para a sua família, por sua conta.

Então o comerciante falou meio relutante para a pobre mulher:

- Você tem uma lista de mantimentos?

- Sim - respondeu ela.

- Muito bem, coloque a sua lista na balança e o quanto ela pesar, eu lhe darei em mantimentos!

A pobre mulher hesitou por uns instantes e com a cabeça curvada, retirou da bolsa um pedaço de papel, escreveu alguma coisa e o depositou suavemente na balança. Os três ficaram admirados quando o prato da balança com o papel desceu e permaneceu embaixo.

 Completamente pasmado com o marcador da balança o comerciante virou-se lentamente para o seu freguês e comentou contrariado:

- Eu não posso acreditar!

O freguês sorriu e o homem começou a colocar os mantimentos no outro prato da balança. Como a escala da balança não equilibrava, ele continuou colocando mais e mais mantimentos até não caber mais nada. O comerciante ficou parado ali por uns instantes olhando para a balança, tentando entender o que havia acontecido.

Finalmente, ele pegou o pedaço de papel da balança e ficou espantado, pois não era uma lista de compras e sim uma oração que dizia:

"Meu Senhor, o Senhor conhece as minhas necessidades e eu estou deixando isto em Suas mãos...".

O homem deu as mercadorias para a pobre mulher no mais completo silêncio, que agradeceu e deixou o armazém.

 O freguês pagou a conta e disse:

- Valeu cada centavo.

terça-feira, 4 de março de 2014

Faço parte de uma geração pentecostal que se comporta com seriedade

Cássio Castelo

Sou pentecostal com muito orgulho santo, faço parte da geração que crê na contemporaneidade dos dons espirituais.

Muitas pessoas não fazem distinção entre pentecostais sérios e pentecostais que banalizam a ação do Espírito Santo e os dons espirituais. Não sabem diferenciar pentecostal de neopentecostal e pensam que são idênticos... mas não são!
.
Sou contra esses que se dizem pentecostais mas escandalizam a doutrina bíblica. Sou pentecotal que não fica profetizando mentira só para dizer que é usado por Deus, escandalizando com inovações que induzem alguns a ficarem apontando o pentecostalismo negativamente... Aí quem ouve os inventores de inovações generalizam, passam a pensar que os pentecostais são todos iguais. Infelizmente!

Me pergunte se eu estou envolvido com misticismo e fico por ai fazendo cirurgias espirituais, se derramo jarros de óleo na minha cabeça, assopro para derrubar alguém. Pergunte se eu compro sal, rosa, se pulo fogueira, se creio na teologia da prosperidade e no no antropocentrismo, se vivo profetizando mentira para criar a imagem que sou uma pessoa mais especial que outras sendo usado por Deus. Pergunte!

Se engana quem quer fazer uma apologia dizendo que pentecostal é um grupo herético, uma bagunça! Se engana também quem pensa isto e quem vai no embalo de quem afirma isso.

Considero-me pentecostal de uma geração que fala em línguas e não brinca com o Espírito Santo nem com os dons espirituais.  Quero dizer a todos abertamente que parece ser tudo igual... MAS NÃO É.

Tenho dito.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Marcos 16.15 - Um versículo pequeno com grandes ensinamentos...

Marcos 16.15 é o texto áureo da igreja militante.
A igreja que está trabalhando aqui na terra para engrandecimento do reino de Deus.


Este versículo por si só já é uma pregação

O interessante é que na bíblia existem alguns textos que exprimem muito bem aquilo que  querem dizer, por exemplo:

Quando pensamos no amor de Deus -  o versículo  que nos vem à mente é (Jo 3.16)
Quando pensamos no nascimento de Jesus (Lc 1.28-32)
Quando pensamos na encarnação (João 1) (no principio Ele era o verbo ...)
Quando pensamos na sua infância (Lc 2.40)
Quando pensamos na sua morte (Jo 20)
Quando pensamos na sua ressurreição (Mc 16.1)

Agora quando o assunto é evangelização o versículo que nos vem a mente é (Mc 16,15)
Ide por todo o mundo....

Um versículo pequeno,  mas que traz na sua essência pelo menos quatro grandes ensinamentos para nos:

Primeiro- ele nos ensina que Jesus Cristo é o Senhor e por isso pode dar uma ordem imperativa  (IDE);
Segundo - ele nos faz entender que não existe limite geográfico para se evangelizar (por todo o mundo);
Terceiro – ele nos estimula à ação  (pregai o evangelho)
Quarto – ele nos mostra o alvo da evangelização (toda a criatura)

Quem ganha alma sábio é.

Cássio Castelo

Pesquisar este blog

Teologia, Devocional e informação do cenário evangélico