sexta-feira, 18 de abril de 2014

PÁSCOA (CORDEIRO OU COELHO)

Cristo, nosso cordeiro pascal, foi sacrificado por nós.

Pastor Cássio Castelo

Páscoa – palavra cujo significado em hebraico é passagem, passar por cima ou passar por sobre. 

O nome está intimamente ligado a última das pragas que foi enviada por Deus à terra do Egito na época de Moisés, quando os israelitas estavam escravizados. Faraó precisava ser convencido por ele, para deixar Israel sair do cativeiro que durava cerca de 400, ou 430, anos. 

Deus que havia enviado Moisés à faraó, cooperou com ele, realizando os sinais das dez pragas. A última praga constava da morte dos primogênitos dos egípcios, mas Israel estaria protegido. 

Como se deu esta proteção? Cada família Israelita precisava matar um cordeiro e aplicar o sangue do cordeiro na verga da porta. Um anjo passaria por cima do Egito e aquela casa que não tivesse a marca do sangue na verga, morreria o primogênito. Os egípcios foram atingidos, morrendo todos os seus filhos mais velhos, inclusive o de Faraó. Logo em seguida, faraó deixou o povo de Israel ir embora da terra do Egito.

Assim, o objetivo da páscoa é comemorar a libertação dos israelitas do jugo egípcio, ou cativeiro egípcio. Tem o sentido de libertação, de livramento do povo de Israel. E passou então a ser uma festa, uma das três grandes festas do povo hebreu, o povo de Israel. 

Depois disto a páscoa passou então a ser comemorada pelos israelitas anualmente como uma festa em família, uma refeição sacrificial que consistia em um cordeiro assado ou um cabrito, pães asmos (sem fermento) e ervas amargas. 

Cada elemento deste tinha o seu significado: O cordeiro - servia para recordação do sacrifício; O pão sem fermento – representava a pureza, visto que o fermento simbolizava a corrupção; E as ervas amargas - a servidão na terra do Egito. 

A páscoa tem sentido de redenção, festa, sacrifício e pureza. Este e o sentido da páscoa no Antigo Testamento. Agora, para os cristãos, no novo testamento, o assunto é tratado com a mesma importância, mas sobre um ponto de vista diferente. 

Paulo diz que Cristo é a nossa páscoa em 1 Coríntios 5.7. Deve-se fazer festa sem o fermento da maldade e da perversidade. Para os cristãos a páscoa é uma festa que pode ser celebrar porque houve um sacrifício. Jesus foi este sacrifício! 

Jesus foi o cordeiro de Deus morto, para remissão de pecados. E através deste sacrifício podemos nos aproximar de Deus e alcançar libertação e perdão dos pecados. Na verdade a morte do cordeiro é um dos pés que sustenta a nossa salvação.  

A salvação do homem está sustentada por um tripé: o nascimento, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Gloria a Deus!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

DOUTRINAS SÃO UNIVERSAIS E IMUTÁVEIS. E os usos e costumes?

Por Cássio Castelo

Muitos confundem as doutrinas bíblicas com costumes e práticas tradicionais, ou vice e versa.

Doutrinas - ensino ou instrução. São as verdades fundamentais dispostas em forma sistemática como regra de fé e prática de vida, cujo conteúdo é todo derivado das sagradas escrituras. Ajudam no desenvolvimento de uma vida cristã saudável, proporcionando segurança para quem não quer ser levado pelo erro.


Elas são Santas, Divinas, Universais e Imutáveis:
• Santas
Porque vêm de Deus, quem as escreveu foram homens inspirados pelo Espírito Santo
• Divinas
Porque são de Deus
• Universais
Porque são validas para todo mundo
• Imutáveis
Porque nunca mudam. Por falta de conhecimento doutrinário, o homem em sua cegueira espiritual forma conceitos errôneos acerca da vontade divina.

Existem várias doutrinas na bíblia:

• Deus (Teologia);
• Cristo (Cristologia);
• Salvação (Soteriologia);
• Espírito Santo (Pneumatologia);
• Homem (Antropologia);
• Pecado (Hamartiologia);
• Igreja (Eclesiologia);
• Anjos (Angelologia);
• das Últimas Coisas (Escatologia); etc.

A vontade de Deus para o homem é que ele conheça e prossiga em conhecer ao Senhor (Oséias 6.3), examinando as escrituras e sabendo manejá-la, pois elas podem nos fazer sábios para salvação pela fé que há em Cristo Jesus (2 Tm 3.15).

Costumes, e práticas tradicionais. A bíblia nos orienta a termos bons costumes (1 Co 10.31; 6.20; Tt 2.10).

Agora, quanto aos costumes, eles são sociais, regionais e temporais, ocorrem na esfera humana conforme as etnias de cada povo. 

Continuaremos esta reflexão em outra oportunidade, se assim Deus permitir. 

Deus Abençoe! 

Pesquisar este blog

Teologia, Devocional e informação do cenário evangélico